Segurança nas Viagens

Dicas de Segurança nas Viagens

1. Nas viagens em percurso que for necessário pernoitar, procure reservar hotel antecipadamente, pois a procura é grande nas temporadas de férias. Dê preferência a hotéis que tenham garagens internas. Evite também hotéis muito próximos a postos de combustíveis, pois costuma ser perigoso, muito barulho de caminhões chegando e saindo à noite, dentre outras inconveniências;

2. Evite dirigir à noite. Uma viagem planejada para o período diurno é muito mais segura. Caso seja necessário dirigir à noite, não dirija por um período muito longo;

3. Planeje paradas para abastecimento, refeições e descanso;

4. Não deixe o combustível de seu carro chegar à reserva para abastecer novamente, principalmente se estiver circulando em estradas que você não conhece. Procure abastecer de forma segura e aproveite as regiões que o combustível for mais barato, verificando, é claro, se o posto é confiável;

5. Em caso de pane com o veículo, a primeira coisa a fazer é estacionar no lugar mais seguro possível e fazer a sinalização correta com o triângulo sinalizador do carro e, também complementando com galhos de árvores, torrões de terra, moitas grandes de capins, dentre outros meios naturais. Isto reforça a sinalização e evita acidentes, lembrando da distância de segurança da sinalização, principalmente à noite;

6. Para quem for chamar o mecânico ou acionar a seguradora, identifique primeiro a localização do seu veículo antes de fazer a ligação. Ocorrem casos em que a pessoa sabe, por exemplo, a rodovia, mas não sabe em qual km da estrada que o carro encontra-se. Procure informar com pontos de referências para facilitar o atendimento;

7. Para quem não possui seguro de veículo e necessitar de socorro, procure referência de oficinas com a Polícia Rodoviária Federal ou em postos de pedágio, pois há registro de vários casos de assalto com pessoas que se apresentavam como mecânico para assaltar motoristas;

8. Se a pane do seu carro lhe permitir circular com segurança, procure levar o automóvel até um local mais seguro e movimentado, evitando ficar às margens de rodovias. Em caso de necessidade da contratação de serviços, quando a situação permitir, procure uma cidade mais próxima, evitando gastos em beira de estradas, pois os custos nestes locais costumam ser bem mais altos, pois há pessoas que associam que quem está viajando no período de férias está com muito dinheiro e aproveitam para explorar os motoristas;

9. Cuidado com este “modus operandi” de assalto já registrados em algumas rodovias federais: Você está na estrada dirigindo tranquilamente, quando alguém em outro carro passa, dá um sinal sobre um suposto problema no seu carro e segue adiante. Você acredita que é alguém bem intencionado e, vendo que o carro foi embora, você para no acostamento para ver o que há de errado. Nesse momento, outro carro que estava seguindo você, que você não percebeu para logo atrás. Você é pego completamente desprevenido, pelos comparsas que estão nesse carro. Se ocorrer isto contigo, procure preferencialmente parar em local de movimento de pessoas ou num posto policial;

10. Se possível, viaje acompanhado por alguém que possa revezar com a direção com você. Caso viaje sozinho procure manter o rádio ligado para distrair o sono. Sentiu sono? Faça uma parada, desça do carro e faça alongamentos, lave o rosto, troque a camisa e tome um cafezinho. Persistindo o sono procure um local seguro para descansar;

11.  Faça paradas regulares, mesmo que não esteja cansado. Isto evita a fadiga;

12. Ao fazer uma parada, cuidado para não deixar o carro destrancado ou com os vidros abertos. É muito comum assaltos em locais de paradas de estradas. Certifique de alguma atitude suspeita quando parar o carro e fique de atento. Se sentir-se inseguro chame a polícia;

13. Não deixe objetos de valores expostos nos bancos dos veículos como aparelhos eletrônicos e bolsas. Estes objetos chamam atenção de criminosos, utilize o porta-malas;

14. Acompanhe atentamente as crianças durante as paradas para evitar acidentes;

15. Antes de seguir a viagem após uma parada, certifique de que não ficou nada esquecido no local. Os objetos mais comuns que costumam ficar esquecidos nas paradas das rodovias são: aparelhos celulares, principalmente dos filhos, carteiras dentro de banheiros ou em cima de balcões de lanchonetes e a bolsa de mão de mulheres. Isto costuma causar estresse quando ocorre;

16. Atenção especial para o trânsito quando estiver chovendo. Reduza a velocidade a um limite seguro e, se for possível, espere a chuva passar. Ao estacionar utilize todos os meios de sinalização do veículo para evitar acidentes. Não coloque em risco a sua viagem, principalmente em locais que você não está acostumado a dirigir;

17. Obedeça a velocidade e a sinalização da via;

18. Muito cuidado ao frear tendo caminhões na sua traseira, principalmente em declives. Pesados, eles percorrem uma distância muito maior que um veículo comum até parar completamente;

19. Não dispense o uso do cinto de segurança, é muito comum em viagens longas, ocupantes do banco de trás, deixarem de utilizar o cinto. Isto é um grande risco para a vida;

20. No transporte de crianças menores de 10 anos, 36 Kg e 1,45 m de altura deve ser respeitada a legislação do Código de Transito Brasileiro, utilizando, de acordo com o peso e a idade o assento infantil, o assento conversível, a cadeirinha de segurança ou o assento de elevação.

21. Obedeça sempre as normas de segurança previstas no Código de Trânsito Brasileiro e resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), especialmente quanto ao transporte de crianças;

22. Deparando-se com um acidente, antes de tentar prestar qualquer socorro, respeite a sua própria segurança. Evite ser, também, mais uma vítima;

23. Se já houver outras pessoas prestando socorro no local, siga adiante e tente avisar a autoridade mais próxima (Polícia Rodoviária, Concessionária da rodovia etc.);

24. Se você não é médico ou paramédico, evite mexer nas vítimas e nem permita que leigos removam as pessoas acidentadas. Aguarde o socorro apropriado e evite o agravamento das lesões por manipulação inadequada. Sua principal função nesta hora será evitar o pânico, confortar os feridos, pedir o socorro e sinalizar o local com triângulo, galhos ou lanternas;

25. Ao dirigir sob forte chuva ou sob neblina use faróis baixos;

26. Ao se deparar com animais de grande porte nas pistas (cavalos, bois, etc) não buzine nem sinalize com os faróis. Isto pode assustar o animal que pode ter reações inesperadas. Feche os vidros, passe lentamente em marcha reduzida, sinalize para outros motoristas com lampejos de faróis e gestos e avise ao posto policial mais próximo;

27. Em caso de qualquer fiscalização policial na rodovia, não sinalize de forma alguma para os motoristas que trafegam na direção oposta. Você pode estar sinalizando para um suposto assaltante ou também impedindo que a polícia flagre aquele motorista que coloca a vida de outros em risco dirigindo com excesso de velocidade. Sinalize apenas em caso de acidentes não balizados, obstrução da via por manifestações, obstáculos da natureza e, também, quando houver animais na via;

28. Ao avistar uma barreira de fiscalização policial proceda da seguinte forma:

a) Trafegue devagar, abra os vidros e mantenha a tranquilidade. Estando de motocicleta ao ser abordado, retire o capacete ou abra a viseira para o policial identificar o condutor;

b) Atenda prontamente aos sinais e orientações do policial, estacionando no local indicado por ele;

c) Sempre respeite o bloqueio policial, pois a ação policial é a sua segurança e a fuga do bloqueio pode ser mal interpretada e gerar graves consequências;

d) Ao parar o veículo, permaneça sentado e aguarde orientações. Se for à noite, acenda as luzes internas do veículo. Só saia do veículo mediante instruções do policial, mantendo as mãos sempre visíveis e sem quaisquer objetos;

e) Não se preocupe com documentos, pois serão solicitados oportunamente. Quando houver duas ou mais pessoas no interior do veículo, elas devem aguardar orientações para sair, mantendo as mãos sempre visíveis;
f) Na abordagem, não se precipite em apresentar a documentação, evite conversa desnecessária com o policial e aguarde as orientações dele. Muitas vezes no intuito de querer ajudar ou agilizar o procedimento da operação, comportamentos como ansiedade ou excesso de cortesia do motorista, por exemplo, podem atrapalhar o trabalho do policial ou até mesmo levá-lo a entender que o motorista quer distraí-lo de alguma coisa errada;

g) Não tente usar de prerrogativas do cargo que você exerce profissionalmente para tentar desobrigar-se de algum tipo de responsabilidade de infração porventura cometida. Assuma as suas responsabilidades, independente das consequências que a infração cometida for te causar. Os policiais não costumam aceitar este tipo de conduta e a situação pode ficar complicada para o motorista;

h) Caso esteja portando arma legalmente ou não, comunique ao policial na primeira oportunidade;

i) Em caso de revista do veículo, que é prevista em lei, é fundamental que o motorista acompanhe-a atentamente. Neste caso, os próprios policiais são orientados a chamar o motorista para acompanhar a revista. Quem se recusa a ser revistado pode ser detido por desobediência, resistência ou desacato à autoridade; e

j) Não admita abusos, maus tratos ou condutas de má fé. Caso isto ocorra, procure identificar os policiais, a descrição física dos mesmos, caso não haja identificação, a placa e o prefixo da viatura e denuncie-os para a corregedoria da Polícia Rodoviária após ocorrência policial.  No caso da Polícia Militar ou Civil, o fato deve ser informado a Delegacia de Polícia local e, posteriormente, para a corregedoria da corporação no Estado em que ocorreu o fato;

29. Não subestime as recomendações das placas de trânsito que sinalizam os trechos com registro de altos índices de acidentes. Os acidentes de trânsito no Brasil são a segunda maior causa de morte. Não corra o risco de fazer parte desta estatística; e

30. Para quem vai viajar de motocicleta, atenção para o respeito à velocidade da via, trafegue com segurança, utilize os equipamentos individuais de segurança, use sempre o capacete com modelo previsto pelo CONTRAN e aprovado pelo INMETRO e mantenha sempre o farol aceso. De acordo com estatísticas, nos acidentes que envolvem motocicletas o excesso de velocidade, a imprudência e a falha humana estão sempre presentes.

Fernando Vieira

Website:

Deixe uma resposta